quinta-feira, 11 de julho de 2013

Ilustração Super Mario Bike

Boa noite galere!

Vou colocar aqui um pouco sobre a ilustração Super Mario Bike que fiz, com o propósito de ser estampada em camiseta. Como alguns sabem, a silkscreen (serigrafia) é um dos 'n' processos de estamparia, um dos mais antigos e mais utilizados quando se precisa de qualidade, principalmente em malhas mais escuras. O seu fator limitador é a quantidade limitada de cores, já que para cada cor, será utilizada uma tela.

Essa ilustração foi feita com um total de 6 cores, você irá visualizar 7, mas é importante lembrar que um 'truque' muito utilizado é aproveitar a cor da própria malha da camiseta para eliminar uma cor. Bom, vamos lá!

Estudos e referências


Quando repetimos muitas vezes um determinado desenho, bem como objetos, expressões e rostos, não necessitamos ficar indo no Google Imagens para buscar referências; contudo é extremamente recomendável quando você quer uma certa fidelidade com o que quer ilustrar e não tem muita vivência/familiaridade.

Exemplos disso são posições de movimento, perspectivas e, é claro, objetos. Nessa ilustração não foi diferente, para desenvolver as bicicletas, fui atrás de modelos diferentes que pudessem ser associados com os perfis dos personagens.



Mãos à obra, hora de ilustrar!


Essa é a parte mais criativa do processo e não tem muito segredo, pegue lapiseira, borracha, régua (se precisar) e uma folha de papel. Não se prenda muito em apagar, rabisque em cima do rabisco, encontre a solução no emaranhado de linhas, é praticamente impossível ter um resultado bom ser errar bastante, com algumas exceções, no caso de desenhos mais cleans, chapados, estilizados, enfim! 

Perspectiva é um troço bastante chato, eu mesmo não me lembro ao pé da letra, então muitas coisas acabam indo da cabeça mesmo, que espero no computador conseguir uma certa ajuda.



Vetorização


Novamente não tem muito segredo, após digitalizar a imagem acima, abro ela no programa Adobe Illustrator, travo em uma camada, crio uma nova e desenho tudo por cima com o auxílio principal de duas ferramentas, a Pen e a Width (afina ou alarga o traço da pen).



Ps. As linhas menores paralelas (hachuras) foram feitas com uma amostra padrão. Para isso, basta você criar um retângulo da espessura e cor que desejar fazer a hachura, copiar e colar ao lado (segure o shift e use as Smart Guides para auxiliá-lo), feito isso, tire a cor de preenchimento de um dos retângulos, selecione os dois e arraste-o para sua janela de amostras. Pronto!

Finalização - Cores e Efeitos


Apesar de parecer que fiz primeiro todas as linhas para depois colorir, quero deixar bem claro que prefiro trabalhar cada elemento isolado, com suas linhas e cores bases. A imagem acima foi feita exclusivamente para esse post, ok?

As sombras eu geralmente trabalho com shapes e pathfinder de intersecção, em que você desenha a sombra com um shape, copia a layer que irá ser aplicada a sombra, cola para frente (Ctrl + F), seleciona o shape da sombra e a layer copiada e clica em pathfinder de intersecção.

Por fim, apenas para uma versão web, coloquei uma folha de papel envelhecida por cima e apliquei Multiply.


Ilustração aplicada na malha cor cereja (lembra que eu disse que uma cor seria a substituída pela própria malha?) Nesse caso, sem a aplicação do efeito de papel envelhecido.


É isso, não me considero um ilustrador super detentor de conhecimentos para ficar ensinando etapas do processo, mas gosto de compartilhar minhas coisas e essa foi a melhor maneira para tal.

Um grande beijo e abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...